Homofobia! humorista ex-Pânico, foi cruelmente agredido após show em São Paulo - RB NEWS

Publicar anúncio superior

Homofobia! humorista ex-Pânico, foi cruelmente agredido após show em São Paulo

Share This
O artista humorístico, Evandro Santo, trabalhou no programa Pânico por 11 anos e conquistou uma legião de fãs, muito animado, alegre, descontraído e de bem com a vida, sempre levou muito intertenimento e alegria ao público de casa, assim também como em seus shows por todos os lugares do Brasil.


Mas, dessa vez, o assunto que leva o nome de Evandro a ser comentado na grande mídia, não é nada agradável, isso porque, na noite de sábado, dia 19, o comediante, fez uso de seu perfil oficial no Instagram e publicou duas fotos para denunciar uma agressão.


Evandro  foi agredido por um integrante da plateia após um show de "stand-up comedy" na cidade de Marília, na grande São Paulo. O caso foi confirmado pela assessoria de imprensa e comunicação de imprensa do humorista.

No post, Evandro explicou que durante seu show, ele chamava algumas pessoa, que quisessem subir no palco e interagir com ele no quadro  ‘Tinder humano’, ao finalizar a participação, o convidado recebia um selinho do artista.


Nisso, um rapaz chamado Pedro e uma moça, subiram ao palco, deram risada, receberam o selinho e saíram de boa, como sempre acontece. Após isso, o show parou por poucos minutos, enquanto Evandro foi ao banheiro e parou para tomar água.

No percurso entre o banheiro e o palco, Evandro disse que foi surpreendido pelo rapaz chamado Pedro que havia subido há poucos minutos em seu palco, ele desferiu socos no seu  rosto, nariz e olho.


Evandro conta ainda, que o rapaz estava na companhia do pai, que o incentivava a agredi-lo.

Evandro ficou revoltado e foi embora, direto para o hotel, encerrando sua fala, ele diz que não sabe o que é apanhar desde seus 13 anos de idade.

O caso já está em posse dos advogados do artista.


Em um outro post, ele diz que familiares entraram em contato dizendo que o agressor  havia acabado de sair de uma clínica de reabilitação. "Isto não é desculpa. Conheço um monte de dependentes ou ex-dependentes que não agridem ninguém. Cabia, então, a alguém da família cuidar do moço, não deixar ele subir no palco ou participar devido a sua suposta saúde mental. Alguém vai responder sobre este crime real”, afirmou.  Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Rede Boquira News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A Rede poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Publicar anúncio inferior

Páginas