Header Ads

test

Iêmen: a guerra que já matou 85 mil crianças, mas ninguém comenta


O Iêmen, país mais pobre da Península Arábica, vive um conflito sangrento desde que, em 2014, os rebeldes huthis xiitas, apoiados pelo Irã, tomaram a capital, Sanaa.



A guerra deixou até agora 10 mil mortos e mais de 56 mil feridos desde 2015, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). No entanto, acredita-se que o balanço real seja muito maior.



O conflito está provocando a pior crise humanitária do mundo, segundo a ONU, que estima em 14 milhões o número de pessoas em situação de pré-fome.


Cerca de 85 mil crianças morreram de fome ou de doenças entre abril de 2015 e outubro de 2018, de acordo com estimativas da ONG Save The Children.


Em 26 de março de 2015, nove países comandados pela Arábia Saudita lançaram uma operação aérea para conter o avanço dos rebeldes huthis para o sul do Iêmen.

Inconclusivas tentativas de alguns países para tentar acabar com a guerra foram tomadas, em 30 de outubro desse ano, os Estados Unidos pediram que se ponha um fim à guerra e em particular aos ataques aéreos da coalizão liderada pela Arábia Saudita. Em 21 de novembro, o enviado da ONU, Martin Griffiths, começou consultas para manter diálogos de paz. Ele se reúne com líderes rebeldes em Sanaa e depois com líderes iemenitas exilados em Riad. Ainda assim, a guerra ainda acontece, dizimando a tudo.







Nenhum comentário

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Rede Boquira News. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. A Rede poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. A responsabilidade é do autor da mensagem.